INTRODUÇÃO A QUÍMICA

A CiÊncia

 

A Natureza é um complexo conjunto de sistemas que interagem entre si. Desde o princípio dos tempos, os humanos são curiosos pelos fenômenos naturais e tentam entender como eles acontecem. Mas as pessoas só podiam contar com a sua experiência e a dos seus antepassados para dar explicações, geralmente místicas, aos fenômenos naturais. Com o passar do tempo, novos fenômenos foram observados e mais explicações foram necessárias. Com o advento da Civilização e a consequente especialização de tarefas, logo surgiram pessoas que se dedicaram aos estudos sobre a Natureza - os pensadores e os filósofos.

 

À medida que o conhecimento se acumulava, foi preciso dividir as tarefas investigativas para facilitar o trabalho ao longo dos anos. Assim, a Ciência começou a tomar a forma que conhecemos - divisão das áreas do conhecimento em Filosofia, Linguística, Matemática, Física e Química, por exemplo.

 

Uma Ciência é um conjunto de conhecimentos semelhantes, mas não isolados dos demais. Uma boa comparação é com uma casa: uma casa é dividida em cômodos como sala e cozinha que, apesar de serem cômodos diferentes e com funções diferentes, estão todos dentro da mesma casa.

 

 

Existem cozinhas que são conjugadas com a sala e às vezes pode ser difícil definir o limite exato entre eles, mas ainda continuam sendo parte da mesma casa. A divisão dos cômodos numa casa é importante para organizar diferentes tarefas, assim como a divisão de matérias na escola é importante para facilitar os estudos. Cientistas que estudam apenas uma porção da Natureza tem maiores chances de aprofundar o conhecimento naquele ponto.

 

Cada Ciência se ocupa de determinada área do conhecimento, assim como cada jogador de futebol tem uma função em campo: às vezes trabalham juntos como o volante e o atacante, às vezes separados como o atacante e goleiro, mas todos trabalham para alcançar o melhor para a equipe, que é a nossa Sociedade.

 

As Ciências ainda podem ser categorizadas em Ciências de Fronteira, Ciência Geral ou Práticas (Ciência Aplicada):

 

Ciências de Fronteira

 

São Ciências de cunho estrutural do conhecimento humano, servindo de base para todos os demais conhecimentos. São ditas de fronteira pois, somente com seu avanço que os demais conhecimentos derivados podem avançar. São Ciências de Fronteira a Química, a Física, a Matemática, a Filosofia e a Linguística.

 

Ciências Gerais

 

Estão nesta categoria as Ciências que não são de fronteira como a Biologia (pelo menos a Biologia Moderna, depende da Química e da Física), Psicologia (depende da Filosofia), Astronomia (depende da Física e da Matemática) e a Computação (depende da Matemática, Filosofia e da Física).

 

Práticas ou Ciências Aplicadas

 

São modalidades que não dependem diretamente de uma Ciência, como as Artes e a Música, ou que se dedicam a aplicar diretamente os conhecimentos das modalidades anteriores com foco em resultados práticos, ou seja, sem comprometimento em gerar conhecimentos fundamentais. São Práticas as Engenharias de modo geral, o Direito, a Medicina, a Farmácia e a Sociologia.

 

Assim, a Ciência não passa de uma invenção humana para lidar melhor com a extrema complexidade que a Natureza representa. É um lembrete constante das grandes limitações do intelecto humano.